Seguidores

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

ESCREVER É . . .


ESCREVER É . . .


Minhas letras nascem...

de uma longa noite de calor

a lua cheia sorrindo

verão de vaga lumes

tapetes de estrelas

bordadas no céu azul marinho

índigo da infinita paixão



Minhas letras nascem...

de uma caminhada

na areia clara da praia

o mar sereno

numa manhã de muita luz

gaivotas me acompanham

sobrevoam as ondas

brincam nas suas doces espumas



Minhas letras nascem...

quando me debruço na janela

cortinas brancas de renda

em suave balanço

brisa com cheiro de maçã

pôr do sol alaranjado

tarde que se esvai entre os morros

matizados de marrom e verde



Minhas letras nascem...

quando cai a chuva fina

molhando os girassóis

e milhares de borboletas

entre as flores

decoram a paisagem

arco-íris no horizonte

linguagem poética, tão bela...



Minhas letras nascem...

da contemplação da natureza

quando a alma penetra

na luz dourada do planeta

suplicando por compreensão

meu interior suspira...

inspira e expira,em versos



Minhas letras nascem...

quando saio descalça

e sinto a grama úmida

viajo por jardins secretos

medito,crio meu paraíso

trilhando sem cansar,

entre os labirintos da mente

inspirada na vibração

do amor que vem do universo!



IMAGEM - GOOGLE

domingo, 19 de dezembro de 2010

NATAL

Queridos amigos e amigas!

Obrigada pelas nossas amizades 
durante este ano!
Que Deus com sua estrela maior
abençoe vocês e seus familiares, sempre!
Que o Novo Ano seja um oceano límpido de luz , paz, realizações e que o amor universal esteja gravado no coração de todos os seres!
Abraços fraternos e beijos de luz lilás! Taís


 Oração de Natal

Senhor, nesta Noite Santa, depositamos diante de Tua manjedoura todos os sonhos, todas as lágrimas e esperanças contidas em nossos corações.
Pedimos por aqueles que choram sem ter quem lhes enxugue uma lágrima.
Por aqueles que gemem sem ter quem escute seu clamor.
Suplicamos por aqueles que Te buscam sem saber ao certo onde Te encontrar.
Para tantos que gritam paz, quando nada mais podem gritar.
Abençoa, Jesus-Menino, cada pessoa do planeta Terra, colocando em seu coração um pouco da luz eterna que vieste acender na noite escura de nossa fé.
Fica conosco, Senhor! Assim seja!
(autor desconhecido)




quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

ARCANOS MAIORES


Arcanos Maiores

Quem és tu?
Eu sou o hierofante dos teus segredos
Homem de fogo
Peregrino triste
dos longos caminhos
Trilhas de sal
Tantos tropeços

Arcanos me contaram
Quantos enganos
Luas de sangue
Desgastes
Lágrimas

Quem és tu?
Eu sou o imperador
Lutando pelo que acredito
Lobo da noite

Nunca se cansa
Seu nome é desejo
Fogo que arde
Som do trovão
Águia prestes a alçar vôo
Luz que se dilata
Assusta e cega
No temporal da paixão

Condenado ao tempo pretérito?
Não, somente fogo em brasa
Entre utopias e realidades

Quem és tu?
Eu sou o eremita das sete montanhas
Cama(leão)


Quem és tu?
Eu sou o cavaleiro da solidão
Escutando o som do silêncio
Preso numa torre de babel
Cercado de “estranhos”

Oráculo sem fim
Labirinto de presságios
Natureza de virtudes
Sem distâncias
O longe é perto...

Quem és tu?
Eu sou o mago, o cigano
A mina prestes a explodir
Abalando estruturas
da caverna do medo
desejo contido na alma
a voz da busca que não quer calar
o encontro com o real destino
marcado no livro da vida
em outros tempos
de clepsidras e papiros
...longíguas eras

Quem é tu?
Eu sou um raio, uma fagulha
Em busca do elo perdido
Com reservas e receios
Escondido nas entrelinhas
Da atemporalildade

...............

Quando os pensamentos nos invadem, laços áuricos se esticam e nos perdemos em imagens de vidas passadas, perdidas...e sabemos que não é só isso...tentamos  encontrar e  encontrar ..só paramos para tomar fôlego e retornamos então à estrada das almas afins , soltas no universo, estrada de obstáculos, a cada dia, e então continuamos a saga acreditando no desfecho final...o encontro!

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

NOS CORREDORES DO UNIVERSO


NOS CORREDORES DO UNIVERSO

Não procuro o inatingível
novamente estremeço
ouço ecos
de gritos incontidos
meu pensamento suspira
encontro-me com o silêncio
tão inevitável
letras se esbarram,
tropeçam e se encontram
contam histórias
memórias despidas... pairam no éter
como se define a ilusão?
Se ela está a lutar com a realidade
nos corredores do Universo
uma bela e intrigante conspiração...

Hierofante, eremita
mago ou imperador
ou o que for!
Teus papiros...
hieróglifos espirram e esbarram
em meus grifos
minh'alma transpira
será o vento do deserto...?
Meus riscos e rabiscos,
nas profundezas...
um oásis
doce água azulada...

onde nasce a realidade...
transmutação em versos...
o improvável fica próximo
o inconsciente é deflorado

Noite longa se apresenta
Magia
descem do espaço teus semblantes
ouço teus ais
Te sinto... vida...
observada e tocada...
pelo espelho da tua lua
São duas horas
madrugada de frio
calor no espírito
Danço na grama molhada
a luz das estrelas
infinitos movimentos
momentos que se traduzem
em luz distante... de fogo
um raio de felicidade
me levou para passear...

domingo, 5 de dezembro de 2010

TECELÃ DE SONHOS


TECELÃ DE SONHOS



Eu sou... tecelã dos meus sonhos
Tu,és...chama ardente,ao vento
Vem derviche gigante...
Teus passos dançam a vida
Sem chão,voam ao relento
Supremo momento...
Leve espuma da onda... ilusão
Folhas lilases flutuam e se espalham
Na paz do meu coração
Sou a fumaça das nuvens...
O matizado do arco íris no horizonte
Vem em círculos de energia...derviche
No sonho do sonho que eu sonho
Desabrocha comigo, é primavera
Desce uma esperança... criança
Brinco num jardim de rosas
O vento que te leva
É o mesmo vento te traz
Perfume doce da estação
O amor de derviche é assim
Emoção de luzes...
Inspiração sem fim

 
UM SONHO PRIMAVERIL...

DESPERTA MINHA CRIANÇA CRISTALINA...

QUE DANÇA FELIZ PELA AMIZADE, QUE VIVE,

FEITA DE PAZ, DA COR LILÁS...







quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

♪... ♫ ANJO AZUL... ♪... ♫


♪... ♫ ANJO AZUL... ♪... ♫


Meu anjo se esconde no azul,do céu, do mar...
Os sinos soam cinco badaladas,cantigas divinas no horizonte chamam os seres alados, que surgem feito pássaros gigantes... ...
Sinto o anjo aportar, sons suaves..., ao cair da tarde, vem de muito longe, navega por mares de outros mundos, e suas embarcações são inúmeras até ancorar em meu porto!
Chega então com o pensamento,na velocidade da luz acompanhado de outros seres de diversas cores e formas que se espalham nos sete elementos da terra, em missão de conforto,misericórdia e perdão!
Meu anjo é azul, seu altar é no templo de minha alma,ele desce e me habita, a fim de iluminar e proteger, inspirar e transcender!
Vem calmamente fortalecer meu caminho com feixes de luz azul, sempre trazendo em sua bagagem surpresas cheias de luz, paz e harmonia e juntos espalhamos tudo esse amor pelos nossos ambientes: internos e externos.
As flores mais singelas desabrocham e expostas exalam um perfume incomum,de mansinho.
Anjos seculares, descem na Terra,com suas mochilas cheias de estórias, alegria e muita cantoria, trazendo suas harpas douradas e uma flauta lilás, para tocarem diante de uma platéia de estrelas.
A lua brilha em seus olhos nestes momentos de amor universal, meigos momentos das almas afins...
Não há maldade que resista, caem as máscaras e armaduras dos que se camuflam e nos cercam, não sinto medo, e tudo se transforma em poeira de luz!


       Anjo azul canta então..♫ ♪ ♫:




               Somos todos luz ♪ ♫ ♫ ♪ ♫




                                   tu és luz ♪ ♫ ♫ ♪ ♫




                                            eu sou luz! ♪ ♫ ♫ ♪ ♫











domingo, 28 de novembro de 2010

. . . p a z . . .


. . . p a z  . . .

Me perdi em meus labirintos

Não achei a saída fora deles

retornei...

Me encontrei em meus labirintos

A paz que eu tanto procurei

Estava dentro de mim...





                                                                    Três Coroas/RS


                                                                 Foto : Luz de Antares

domingo, 21 de novembro de 2010

LONGE . . .


LONGE ...

Tarde clara que se esvai

Longe... na casa de pedra

Mistérios da mata, dos cerros

A noite chega, com calmaria

Lua cheia, sorrindo

Fumaça aromática...

de dois incensos, subindo...

se acabando em cinzas

Distante da azáfama da vida

Solidão do verde escuro

Chama da vela acesa

O tic-tac do velho relógio,

insistente a tocar

Papéis e canetas

Versículos rabiscados

Nuvens a me observar, da janela

Os cristais de quartzo na mesinha,

pedras perdidas no tempo

O espaço vazio que me envolve

Um arrepio na nuca se dá

O etéreo existir sem desistir

Sombras internas, que sussurram...

O ego preso no calabouço da alma

Pálido semblante no quadro,

pintura da paz... que se faz, no momento

de uma inspiração infinita,

que brota sem segredos, longe ...





domingo, 14 de novembro de 2010

CANÇÃO DO MAR


CANÇÃO DO MAR

Na beira do mar

Sentada na areia

Contemplei a escuridão...

tomando conta do crepúsculo

Ondas dançantes

Em caracóis... espumantes,

quase acinzentadas,

acariciavam meus pés

A luz viva do luar,

Vai e vem... de prata líquida

Belo oceano sem fim,

das conchas das algas

Chão de estrelas

Refleti com a energia criadora

Enxerguei através de outras perspectivas

Meus pensamentos rasgaram as nuvens

Minha visão clareou

Identifiquei meus espaços

Em harmonia com o cosmos

Acenei para o caçador de órion

Saudei as plêiades

Recuperei minhas forças

Resgatei a calma interior

Fiquei toda a noite assim...

Coberta com o meu silêncio...

bem próxima das águas

Ouvindo do mar, sua canção

Que poucos conseguem...revelar

No horizonte então apareceu

uma claridade avermelhada

Um véu de púrpura cobriu as ondas

Despontou um imenso sol

Cheio de sabedoria e luz

renasci com ele,

ave a voar, em paz



Imagem disponível - Google


quinta-feira, 4 de novembro de 2010

............AnDaRiLhO dO GeLo............




.........ANDARILHO DO GELO

Andarilho das sombras, na neve

Espectro num monastério... de gelo

Gritos na tumba... o apelo

Tempo breve

Solidão

O eco é tua canção

O lado escuro da fama

É o fim daquela estação

Alguém ainda te chama

Teu corte no espaço,

Qual lâmina, sem aço

Uma rigorosa mistura, o frio

Os ventos mudaram curso do rio

branca lama

congelado coração

Um breu no clarão

A morte da alma que ama

.##.



“Às vezes, num belo jardim

Onde errava minha atonia

Eu senti, como uma ironia,

O sol anunciando meu fim”

(Charles Baudelaire )



terça-feira, 12 de outubro de 2010

TONS DA NATUREZA

TONS DA NATUREZA

 

Época de florescer
Viver
Detalhes de bela paisagem
Sigo a viagem
Raios de sol ao amanhecer
tingem os contornos da montanha
que parece nunca envelhecer
rocha e relva se misturam
Matizes de verde e marrom
Imprimindo à retina, fortes tons
Pássaros a voar entre os galhos
Vários sons
As folhas a cair em retalhos
Brilho alvo da cascata
Mistérios da mata...
O tempo a passar
Recordações se insinuam
no meu pensar
Razão e emoção a duelar
Fico aqui, deitada na grama
como se fosse minha cama
Atenta a escutar a voz da natureza
Quanta beleza
Final de tarde, quietude
As cores se perdem
O sol mergulha no horizonte
Brisa leve a soprar
Relva aveludada a esfriar
A noite a cair
Estrelas estão a surgir
Tenho que partir...
Estrada estreita
Caminhos serpenteados
Ninguém a minha espreita
Eucaliptos enfileirados
Fortaleza erguida!
Coração e mente
Vou em frente
Sapatos empoeirados
Em meio à escuridão
Vagalumes me dão
A certa direção